domingo, 3 de julho de 2016

Estágios de desenvolvimento, em relação ao jogo

O jogo -> assimilação funcional ou reprodutora -> pensamento orientado -> satisfação individual -> pseudo-atividade.
O jogo evolui para um relaxamento do esforço adaptativo e por manutenção ou exercício de atividades por prazer único de domina-las e delas extrair como que um sentimento de eficácia ou de poder.
Jogos de Exercício - > crianças de 0 a 2 anos – período sensório-motor - forma inicial de jogo – assimilação adaptativa - sucção dá lugar a exercício em seco, exercício do reflexo, o prazer de mamar, os jogos da voz – as primeiras lalações, os movimentos de cabeça e das mãos acompanhados de sorrisos de divertimento, quando a criança olha por olhar, manipula por manipular, balança as mãos e os braços. – o prazer de interagir com objeto que a criança manipula como por exemplo tocar um mobile no berço, e este se movimenta. 
A criança realiza uma imitação aparente de seus gestos e ao mesmo tempo assimila ludicamente as aprendizagens durante vários processos de reconhecimento dos gestos repetitivos. Mamar é o símbolo, seio da mãe ou o dedo polegar representa o significante e a sucção o significado e quando há a ausência do objeto e a criança evoca outro como representativo temos um ato significante. A assimilação e a acomodação nesta fase estão intrínsecas e equilibradas uma a outra para formar a inteligência.  
Jogos de Simbólicos -> crianças de 2 a 7 anos - Período pré-operatório – inicio do simbolismo coletivo, símbolos representativos imitação – acomodação – atirar pedra em poças da água, fazer esguichar a água da torneira, salta.
Jogos de Regras -> Inteligência operatório concreto – crianças de 7 até 11 anos, jogo de regras e é essencialmente social, e caracteriza-se pelo declínio evidente do simbolismo em proveito de jogos de regras – O jogo de bolas de gude, sensório-motor, olhar e lançar, jogo de repetição e de lutas canalizadas. Podendo construir modelos cartográficos com uma precisão aos mapas de países reais, confecção de planisférios e o desenho de regiões detalhadas. Os mapas do ponto de vista da geografia física começam a apresentar alterações de fronteiras, começa o interesse por História (vestuário de épocas, moveis, casas).
Acima de 11 anos – Inteligência operatória abstrata,
Jogos Individuais – Conquista do corpo (jogos motores com o próprio corpo como instrumento); conquista das coisas (jogos de destruição e jogos construtivos), jogos de interpretação (metamorfose de pessoas e coisas).
Jogos Sociais – jogos de papéis (interpretações), complementares (professores e alunos), jogos combativos

Jogos infantis
I) Jogos funcionais ou sensório motores
II) os jogos de ficção ou de ilusão
III) os jogos receptivos – ver imagens, ver imagens
IV) os jogos de construção
V) os jogos coletivos
VI) Jogos simbólicos 

Jogos de Regras – assimilação inconsciente das regras
                - Regra Motora – aparece até o segundo ano de idade, motora pré-verbal -
                - Regra coercitiva – é imitada pela criança e sentida como obrigatória e inquestionável
                - Regra racional – onze ou doze anos
Jogos conforme seu conteúdo:
Primeira categoria
- Jogos Sensoriais: jogos de experimentação, jogos de funções gerais, exemplo, assobio, gritos, telefone sem fio, cabra-cega onde o sentido da audição é essencial.
- Jogos Motores: onde temos a participação do corpo, precisa-se mais da coordenação, por exemplo, bolas e corridas (pega-pega).
- Jogos Intelectuais: desenvolve o raciocínio, imaginação e curiosidade (xadrez e Palavra cruzadas).

- Jogos Afetivos: desenvolvimento dos sentimentos ou de experiências desagradáveis, jogos de inibição, como sustentar uma posição difícil o máximo de tempo possível. 

Ao incorporar o jogo em atividades na sala de aula devemos ter o cuidado em incorporar atividades que estejam condizentes ao seu desenvolvimento cognitivo, para que estas aprendizagens proporcionem  aulas menos exaustivas e mais significativas mas sem esquecer do desenvolvimento intelectual. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário